Buscar
  • Merkaz

Muito Além do Home Office: o Futurodo Trabalho Remoto

Atualizado: Abr 30

Por Gui Rangel

É o começo do quarto dia de caminhada na trilha de Torres Del Paine.

A sensação de estar frente a frente com um cenários naturais mais espetaculares do planeta enche você de energia para enfrentar mais um dia cheio. Antes de mais nada é preciso preparar o café da manhã, checar se os painéis solares portáteis estão funcionando e se o seu celular está pronto para um novo dia de trabalho.

Já adequadamente alimentado, você checa o horário. O seu assistente virtual avisa que faltam apenas 15 minutos para sua reunião de time. Hora de colocar os óculos de realidade virtual e as luvas hápticas.

Num piscar de olhos, a vista deslumbrante do Valle del Francés é substituída por uma sala de reuniões com decoração minimalista e vista panorâmica para uma moderna metrópole. E essa era apenas uma entre muitas opções disponíveis.

Enquanto espera pela chegada de seus colaboradores, você define a aparência do seu avatar – talvez seja uma boa oportunidade para usar o terno e-Armani que comprou na semana passada – checa suas anotações e as tarefas que realizadas no dia anterior. Minutos depois, os avatares dos membros da equipe começam a aparecer. Vocês se cumprimentam com apertos de mão e suas luvas hápticas transmitem a sensação do toque de maneira quase indistinguível da experiência ao vivo. Alguns deles podem estar em outros países, em outros fusos horários – não há como saber. O que importa é estão conectados, e que existe trabalho a ser feito.

A reunião transcorre de maneira rápida e eficiente. Problemas são resolvidos, documentos são compartilhados, tarefas são atribuídas e prazos são definidos. Seu assistente virtual – que desde o mês passado tem a aparência uma senhora de meia-idade, mas antes era uma cópia perfeita do Elon Musk – prepara uma ata da reunião que é distribuída a todos os participantes e atualiza suas agendas. Ao fim, todos se despedem e, um a um, desaparecem da sala de reuniões.

Você decide trabalhar por algumas horas antes de continuar sua caminhada. A dúvida é trabalhar dentro do seu escritório virtual ou mudar os seus óculos para o modo Realidade Aumentada, usando a interface que tem como fundo a paisagem natural do vale.

Durante todo o período da manhã, você foca nas tarefas a serem entregues, interage com seu time e resolve um sem-número de pendências. Agora é hora de desmontar o acampamento e seguir viagem. Hoje à noite tem mais uma sessão de trabalho.

Bem-vindo ao mundo do Anywhere Office. Um lugar onde sua capacidade de gerar valor não está mais limitada a um espaço físico.

Ele pode parecer distante, mas deve chegar muito antes do que você pensa.

A ascensão do trabalho remoto. Até há pouco tempo, trabalho remoto era percebido pela maioria das organizações como uma possibilidade ainda distante da realidade, mas estudos recentes da IWG mostraram que, na verdade, cerca de 70% da força de trabalho global já colaborava pelo menos uma vez por semana de forma remota, utilizando teleconferências e ferramentas de colaboração. E isso foi antes da pandemia.

Presos em nossas casas indefinidamente pelo isolamento social, corremos o risco de ver a economia paralisar-se indefinidamente, empregos desaparecerem e empresas fecharem.

Para garantir a nossa sobrevivência, é necessário sair da nossa zona de (des)conforto e reinventar a maneira como colaboramos e geramos valor para as nossas organizações, por meio da adoção quase universal do trabalho remoto como forma primária de colaboração.

O trabalho remoto não é um conceito novo, mas tem crescido muito ultimamente graças ao acesso a conexões com a internet cada vez mais robustas, ao desenvolvimento de plataformas de videoconferência, como os populares Zoom, Google Hangouts Meet, MS Teams e Skype e a uma miríade de aplicativos de colaboração remota baseadas na nuvem, como Basecamp, G Suite, MS Suite, Trello, Miro, Slack, Tableau, Doodle e muitos outros.

Até o começo da crise, as formas de colaboração puramente remotas ainda eram vistas como uma alternativa aos modelos tradicionais para casos muito específicos, como freelancers, profissionais atuantes em mercados que não justificam a criação de uma estrutura física, ou o home office como uma parte da jornada de trabalho tradicional, onde o funcionário pode trabalhar um ou mais dias a partir de sua casa.


De repente, o foco no trabalho remoto deixou de ser uma opção: virou uma questão de sobrevivência para muitas empresas. E é um caminho que não tem volta.

Nômades digitais, sejam bem-vindos. O mundo do Anywhere Office já está transformando a realidade em algo que até pouco tempo poderia ser parte de um conto de ficção científica.

No momento em que falamos, surgem iniciativas como a da empresa SpaceX, do bilionário empreendedor Elon Musk, que está colocando no espaço uma rede de mais de doze mil satélites, chamada Starlink, que irá disponibilizar internet banda larga para todo o planeta – incluindo seus cantos mais remotos.

De repente, a ideia de ter seu escritório em um veleiro viajando da Nova Zelândia para a Polinésia Francesa, conectado com o mundo, não parece tão distante.

Essa mudança para o modelo de trabalho remoto fará com que o ritmo de vida das pessoas e a estrutura urbana sofram mudanças profundas.

Sem a necessidade de morar perto do seu local de trabalho ou de se deslocar para ele, o profissional vai poder escolher que tipo de vida quer levar e onde quer viver. Isso vai transformar a maneira como centros urbanos se organizam, diminuindo a saturação de áreas centrais e causando um imenso impacto no mercado imobiliário.

Com a diminuição da necessidade de espaços comerciais, aluguéis e preços de imóveis serão reduzidos e o trânsito nos horários de pico praticamente desaparecerá. O tempo antes gasto em deslocamentos será transformado em qualidade de vida e produtividade. O ritmo das nossas vidas pessoais e profissionais irá mudar.

As ferramentas de colaboração vão se tornar cada vez mais eficientes, e o uso intensivo de AIaaS (inteligência artificial como serviço) para tarefas simples e repetitivas irá aumentar de maneira exponencial nossa capacidade de produzir e a qualidade da nossa produção, criando a oportunidade de tornar nosso trabalho cada vez mais qualificado.

Essas soluções baseadas em Inteligência Artificial também tem o potencial de reinventar a forma como interagimos remotamente com qualquer pessoa no planeta, através de sistemas capazes de fazer traduções de voz instantâneas para qualquer idioma, como foi demonstrado recentemente por iniciativas como a Microsoft Azure AI. O resultado é a eliminação de barreiras culturais e o estímulo a uma colaboração cada vez mais abrangente, universal.

Para libertar todo esse potencial, contamos com a chegada das redes 5G (e na já planejada rede 6G) que oferecem velocidades de transmissão de dados muito maiores, do Cloud e Edge computing, que aumentam exponencialmente o potencial de processamento remoto (que não acontece dentro dos equipamentos eletrônicos, mas na nuvem) dos computadores e celulares. Tecnologias que, juntas, fazem com que a realidade virtual (VR), realidade aumentada (AR) e realidade mista (MR) se transformem em parte integrante do dia-a-dia do nosso trabalho.

Neste mundo de colaboração que existe de forma virtual, surgirão escritórios de arquitetura especializados em criar espaços de trabalho e salas de reunião virtuais, onde acontecerão nossas interações coletivas. Surgirão companhias especializadas na criação de avatares customizados, designers de moda para avatares e lojas de roupas e acessórios virtuais, com detalhes cada vez mais realistas e complexos.

E, como a aparência dos avatares não está necessariamente ligada à nossa aparência física, a adoção da interação baseada em realidade virtual pode marcar o início da libertação das convenções alinhadas ao sexo, orientação sexual e idade. Cria-se no processo a possibilidade de um sistema mais justo, com menos vieses, fundamentada na capacidade do indivíduo de gerar valor para sua organização.

No mundo do Anywhere Office nos tornamos cloud citizens – os cidadãos da Nuvem, verdadeiros nômades digitais, não mais limitados pelo espaço físico e pelo tempo. E isso é só o começo

Onde o VUCA vai te levar? Nos encontramos em um momento de ruptura, e as crises têm o poder de acelerar o processo de transformação, de adoção de novas tecnologias e formas de trabalho. Algumas estimativas dizem que os próximos 20 anos vão trazer mais mudanças do que os últimos 2000 anos da história da humanidade.

As sementes dessas mudanças já estavam entre nós havia algum tempo, mas o impacto disruptivo trazido pela pandemia, sem paralelo nas últimas gerações, fez com que o ciclo de adoção fosse acelerado para uma velocidade sem precedentes.

As opções são transformar-se ou correr o risco de desaparecer. Essa transformação não é um processo linear. É tortuoso, doloroso, cheio de idas e vindas e resistência em maior ou menor grau. Um processo que acontece em velocidades diferentes para cada organização, indústria e país.

Neste processo, as organizações deixam de ser definidas por prédios, andares, salas de reunião, escritórios, mesas, cadeiras ou pela presença física de seus colaboradores, e passam a ser definidas pela sua capacidade de gerar valor. Esse é a realidade do Anywhere Office: dinâmico, descentralizado, flexível, perfeito para funcionar no mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo) em que vivemos. E quem sabe onde ela pode te levar? Será que até uma trilha em Torres Del Paine? Gui Rangel Futurista, pesquisador, startupper, publicitário e SciFi Experience Designer.

Apaixonado por inovação, criatividade e desenvolvimento humano, foi duas vezes palestrante no influente SXSW, festival de inovação, tecnologia, interatividade e cultura que acontece em Austin, USA. Formado em Publicidade e Propaganda pela Escola de Comunicações e Artes/USP, trabalhou no Brasil e no exterior.

Depois de mais de uma década trabalhando no Oriente Médio, onde liderou equipes multinacionais, multidisciplinares, multiculturais e multiétnicas, voltou ao Brasil para mergulhar de cabeça no cenário inovação e fundar a fintech Portfy, acelerada no programa de startups da Visa.

Atualmente desenvolve um projeto de visualização de tendências do futuro, ajudando pessoas e organizações a se preparar para um mundo em constante mudança. Conecte-se com o Gui Rangel: LinkedIn: www.linkedin.com/in/gui-rangel-a3b0ab8/ Instagram: _guirangel_

  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
SEJA UM MEMBRO MERKAZ!
venha tomar um café com a gente!

Rua Hungria, 1000 / São Paulo, SP - Brasil

​​Tel: (11) 3818-8874​ | contato@merkaz.com.br